Fechar [X]
Janela Modal Simples
Aqui vai o conteúdo da sua Janela Modal Simples.
Fechar [X]
Seu Nome:
Seu e-mail:
Nome do seu amigo:
E-mail do seu amigo:
Mensagem:
Fechar [X]
Nome:
E-mail:
Telefone:

Matriz Curricular

Matriz Curricular Linhas de Pesquisa Acesso docentes
Docentes Próximas defesas Dúvidas Frequentes Biotecnologia
Defesas Mestrado Inscrições
Matrículas - Confirmação de Vínculo
Defesas Doutorado Acesso alunos  


Consulte a matriz curricular do semestre:

 

DISCIPLINA: Bioestatística I

Ementa:
Visão crítica da Bioestatística com ênfase na análise de dados e nos conceitos estatísticos.
Normas técnicas para tabelas e gráficos
Análise de dados através de tendência média e dispersão.
Modelagem de dados com distribuição normal.
Análise de relação e correlação de variáveis.

Bibliografia:
Murray R. Speigel, Estatística. Schaum's Easy Outilines, McGraw-Hill, Lisboa (2000).
Ulysses Doria Filho, Introdução à Bioestatística para Simples Mortais, Negócio Editora, São Paulo, (1999).
David S. Moore, The Basic Practice of Statistics, 2a edição, W. H. Freeman and Company, New York, (2000).
Sonia Vieira, Introdução à Bioestatística, 3a. ed. revista e ampliada, Editora Campus Ltda, Rio de Janeiro, (1980).

DISCIPLINA: Bioestatística II

Ementa:
Planejamento de experimentos e a descrição de amostras e resultado.
Planejamento de amostragem e experimentos.
Experimentos com grupo controle.
Experimentos pareados e não-pareados, modelos probabilísticos.
Testes de significância, qui-quadrado, não-paramétricos e outros.

Bibliografia:

Murray R. Speigel, Estatística. Schaum's Easy Outilines, McGraw-Hill, Lisboa (2000).
Ulysses Doria Filho, Introdução à Bioestatística para Simples Mortais, Negócio Editora, São Paulo, (1999).
David S. Moore, The Basic Practice of Statistics, 2a edição, W. H. Freeman and Company, New York, (2000).
Sonia Vieira, Introdução à Bioestatística, 3a. ed. revista e ampliada, Editora Campus Ltda, Rio de Janeiro, (1980).

DISCIPLINA: Bioinformática Aplicada

Ementa:
Introdução aos principais algoritmos de análise e programação focando a aplicação de ferramentas de bioinformática para a análise e tratamento de dados biológicos.
Ênfase também será dada ao desenvolvimento de construção de algoritmos e programas, dos métodos numéricos utilizados em taxinomia molecular e bioinformática. O curso terá aulas teóricas e práticas no laboratório de informática.
Pré-requisitos desejáveis: Introdução à Bioinformática (pós-graduação em Biotecnologia); Filogenia Molecular (pós-graduação em Biotecnologia) ou Taxonomia molecular (Curso de Biologia – graduação).

Bibliografia:
AMORIM, Dalton de Souza, Fundamentos de sistemática filogenética, Ribeirão Preto: Holos, 2002.
- Ó FOGHLÚ, Mícheál. PERL5: guia de referência rápida.Rio de Janeiro: Campus, 1997.
- Felsenstien, J. (2004) Inferring Phylogenies, Massachusetts, EUA, Sinauer: 2004.
- JAMIL, George Leal; GOUVÊA, Bernardo Andrade. Linux para profissionais: do básico à conexão em redes. Rio de Janeiro: Axcel Books, 2006.

DISCIPLINA: Bioinorgânica

Ementa:
Elementos essenciais em sistemas biológicos. Os metais de transição: elementos traços e ultra-traços.
Diferentes funções desempenhadas por metaloproteínas. (2) Métodos físicos usados em Química Bioinorgânica. Caracterização estrutural. (3) Proteínas dependentes de Ferro. Bio-disponibilidade e Absorção do Ferro. Hemeproteínas. Sistemas Não-Hemínicos. (3) Metabolismo do Cobre. Proteínas envolvidas no transporte deste metal: tioneínas, ceruloplasmina e superóxido dismutase.
Oxidases e oxigenases. (4) A Química do Oxigênio. Espécies reativas e danos oxidativos. Influência de radicais livres e elementos traços na saúde e doenças humanas. (5) Homeóstase do Manganês. Proteínas dependentes deste metal: Mn-SOD, Mn-catalases e foto-sistema II. (7) Sistemas-Modelo de Metaloenzimas de ferro, cobre e manganês: preparação, caracterização e estudos de reatividade. (8) Outros metais. (9) Aspectos Toxicológicos e Medicinais

Bibliografia:
Principles of Bioinorganic Chemistry, S.J. Lippard e J.M. Berg, University Science Books, 1994. (2) Bioinorganic Chemistry, I. Bertini e colab., eds., Univ. Science Books, 1994. (3) Bioinorganic Chemistry: inorganic elements in the chemistry of life, W. Kaim & B. Schwederski, J. Wiley, 1994. (4)Biological and Inorganic Chemistry of Copper, K.D. Karlin & J. Zubieta, eds., Chapman and Hall, New York, 1993. (5) Mechanistic Bioinorganic Chemistry, H.H. Thorp & V.L. Pecoraro, Am. Chem. Soc., 1995. (6) Bioinorganic Catalysis, J. Redjik, ed., Marcel Dekker, New York, 1993.(7) Iron Porphyrins, Part I, II e III, A.B.P. Lever & H.B. Gray, VCH, New York, 1989. (8) Artigos recentes e Reviews em Publicações Periódicas.

DISCIPLINA: Biossegurança - Aspectos legais e éticos da Biotecnologia

Ementa:
Propriedade industrial, lei de proteção de cultivares.
Biossegurança, uso e comercialização de organismos geneticamente modificados, rotulação de produtos transgênicos, etc.
Bioética.
Potencialidades e limites da tecnologia do DNA recombinante.
Esta disciplina será ministrada por professores convidados da própria Universidade e de outras instituições

Bibliografia:
Artigos científicos recentes da área

DISCIPLINA: Biotecnologia e Preservação do Ambiente

Ementa:
• Biotecnologia aplicada ao ambiente: geração de produtos e tecnologia de recuperação ambiental.
• Tratamento biológico de solos e sedimentos
• Tratamento biológico de águas contaminadas
• Tratamento biológico de resíduos sólidos
• Reciclagem de lixo urbano
• Produção de enzimas oxidativas e sua aplicação ambiental
• Testes utilizando microrganismos para detecção de poluentes
• Biossensores

Bibliografia:
MICROBIOLOGIA AMBIENTAL (de Melo, I.S. e de Azevedo, J.L.) Embrapa 1997 438 pp.
ADVANCES IN BIOPROCESS ENGINEERING (Galindo, E. e Ramírez, O.T.) Kluwer Academic Publishers, 1994, 541 pp.
Trabalhos recentes de revistas especializadas (ex. j. Biotecnology, Biodegradation, Applied Biochemistry and Biotechnology)

DISCIPLINA: Cinética Enzimática

Ementa:
I. Conceitos Gerais.
1. Enzimas como Catalisadores Biológicos
2. Determinação das Enzimas
3. Cinética Enzimática
4. Estudo do mecanismo Cinético
II - Cinética Enzimática
1. Efeito de Ligantes: Determinação de Km (Ks e Vmax (Kcat), Inibição Enzimática, sistemas "puros", Inibição Enzimática, sistemas "mistos" (inibição parcial), Ativação Enzimática, Modificação química de enzima, Enzimas e moduladores alostéricos, Reações Enzimáticas envolvendo dois substratos e dois produtos (Bi-Bi)
2. Efeito do pH na Catálise: Determinação dos pKs de grupos prototrópicos influentes na catálise, obtenção do pH ótimo, Determinação de Vmax e Km independentes de pH, Efeito do pH na modificação da enzima por reagentes químicos, determinação do pK da reação, Efeito da adição de solventes orgânicos nos pKs 3. Efeito da temperatura na Catálise: Determinação da energia de ativação (Arrhenius), Cálculo de entalpia e entropia (Van't Hoff)
4. Mecanismos Catalíticos: Catálise ácido-base, Catálise covalente, Catálise envolvendo metal.

Bibliografia:
Donald Voet & Judith G. Voet (1995) BIOCHEMISTRY. John Wiley & Sons, Inc., New York.
Irwin H. Segel (1975) ENZYME KINETICS. Behavior and Analysis of Rapid Equilibrium and Steady-State Enzyme Systems. John Wiley & Sons, Inc., New York.
Malcolm Dixon & Edwin C. Webb (1979) ENZYMES. Academic Press, New York.
Roger L. Lundblad & Claudia M. Noyes (1984) Chemical Reagents for Protein Modification. CRC Press, Inc., Boca Raton, Florida.

DISCIPLINA: Conservação e Uso dos Recursos Genéticos

Ementa:
Evolução e história da biodiversidade, Natureza e valor da biodiversidade, Definição e importância dos recursos naturais, Conservação de recursos genéticos: uma necessidade sócio-econômica, Agricultura e recursos genéticos, Alterações ambientais e seu impactos sobre os recursos genéticos, Origem e manutenção da variabilidade genética, Estoques, populações, demes e outros conceitos, problemas genéticos com populações pequenas. Reprodução em cativeiro e reintrodução. Recursos vegetais e animais na produção de alimentos. Metodologias moleculares aplicadas à conservação dos bancos genéticos.

Bibliografia:
Gaston, K.J., 1996. Biodiversity: A Biology of Numbers and Difference. Blackwell Science Inc. 408pp.
Dobson, A.P., 1998. Conservation and Biodiversity. W.H. Freeman & Co., 264pp.
Perrings, C.; Karl-Goran, M., (Eds.) 1995.Biodiversity Loss: Economic and Ecological Issues. Cambridge University Press. Freese, C.H., 1997. Harvesting Wild Species: Implications for Biodiversity Conservation. Johns Hopkins University Press., 704pp.
Cracraft, J., Grifo, F.T. (Eds), 1999. The Living Plante in Crises: Biodiversity Science and Policy. 311pp.
Patent, D.H., 1994. The Vanishing Feast: How Dwindling Genetic Diversity Threatens the World's Food Supply (A Gulliver Green Book). Harcourt Brace., 180pp.
Kumar, H.D., 1999. Biodiversity and Sustainable Conservation. Science Publishers, Inc.
E.O., Wilson; Peter, F.M. (eds) 1988. Biodiversity, D.C. Washington, National Academy Press.
Abromovitz, J.N. 1991. Investing in Biological Diversity: U.S. Research and Conservation Efforts in Developing Countries. Washington, D.C. World Resources Institute.
Ehrlich, P.R., Wilson, E. O., 1991 Biodiversity studies: Science and policy. Science 253: 758-762. Conserving Biodiversity, A research agenda for development agencies. 1992. National D. C. Washington, National Academy Press.
Costanza, R., (ed.) 1990. The science and management of sustainability. New York: Columbia University Press.
Periódicos: Science; Ecological Economics; Ecology; Scientific American; Conservation Biology

DISCIPLINA: Controle biológico e seu valor biotecnológico

Ementa:
Princípios do controle biológico na agricultura. Vantagens e desvantagens em relação ao uso de agroquímicos.
Controle microbiológico de insetos-praga de plantas cultivadas: Controle por fungos; controle por vírus; controle por bactérias.
Controle microbiano de doenças vegetais. Importância e uso de microrganismos endofíticos no controle de doenças animais e humanas.
Melhoramento de microrganismos utilizados no controle biológico, por meio de técnicas clássicas e de engenharia genética.
Exemplos de sucesso no controle biológico no Brasil e no mundo.
Aspectos legais da utilização de microrganismos em controle biológico.

Bibliografia:
ALVES, S.B. (1998) Controle Microbiano de Insetos. Editora FEALQ. Piracicaba, 1162p.
BURGESS, H.D. (1981) Microbial control of pests and plant diseases. Academic Press Inc., New York, 949p.
DAVIDSON, E.W.R.; FAUST, R.M.; MARGALIT, J. & TAHORI, A. S. (1991) Bacterial control of agriculturally and medically important insects: A global perspective. Gurion University Ben, Beer Sheva, Israel, 260p.
HOKKANGER, H.T.M. & LYNCH, J.M. (1995) Biological control: Benefits and risks. Cambridge University Press, Cambridge, Mass., 304p.
MELO, I.S. & AZEVEDO, J.L. (1998) Controle Biológico I. Ed. EMBRAPA. Jaguariúna, 262p.
MELO, I.S. & AZEVEDO, J.L. (1999) Controle Biológico II. Ed. EMBRAPA. Jaguariúna, no prelo.

DISCIPLINA: Custos e Finanças em Biotecnologia

Ementa:
Uso de calculadoras financeiras e planilhas eletrônicas. Métodos de cálculo de custos e despesas em empresas e projetos. Juros, correção monetária e riscos financeiros. Análise da viabilidade econômico-financeira de projetos de biotecnologia.Financiamentos e sistemas de amortizações. Armadilhas financeiras.

Bibliografia:
ROSS, S.; WESTERFIELD R. W.; JORDAN, B. D. Administração Financeira. 8. ed. São Paulo: Mc Graw Hill, 2008.
Edward J. BLOCHER E. J.; CHEN K. H.; COKINS, G.; LIN, T. W. Gestão Estratégica de Custos 3. ed. São Paulo: Mc Graw Hill, 2007.
PETIT, D. B. Meta-analysis, decision analysis and cost-effectiveness analysis. Methods for quantitative synthesis in medicine. 2nd ed. New York: Oxford University Press, 2000.
GOLD, M. R.; SIEGEL J.E.; RUSSEL L.B.; WEINSTEIN M. C. Cost-effectiveness in Health and Medicine. New York: Oxford Univerity Press, 1996.
DRUMMOND, M.F.; O’BRIEN B.; STODDART G.L.; TORRANCE G.W. Methods for the health economic evaluation of health care programmes. 3nd ed. New York: Oxford Univerity Press, 2005.
WEINSTEIN, M. C.; FINEBERG, H.V.; et al. Clinical Decision Analysis. 2a. ed. Philadelphia: W.B. Saunders, 2002.

DISCIPLINA: Estágio Docente

Ementa:
Apresentação e discussão de elementos pedagógicos relevantes para o ensino superior.
Acompanhamento pedagógico de uma disciplina de graduação escolhida pelos alunos.
Elaboração de um projeto para melhoramento pedagógico da disciplina acompanhada, com auxílio e supervisão de docentes da própria disciplina e da área Pedagógica.

Bibliografia:
Livros texto básicos da área pedagógica recomendados pelos docentes e de livros texto da disciplina escolhida.

DISCIPLINA: Filogenia Molecular

Ementa:
Introduzir conceitos teórico-filosóficos de sistemática filogenética bem como as metodologias empregadas com enfoque em dados moleculares. Introduzir conhecimentos de biologia e evolução molecular (relacionados aos ácidos nucléicos e proteínas) aplicados à metodologia filogenética. Conhecer e praticar as ferramentas de computação (aplicativos em DOS e Windows) relacionadas às metodologias de análise filogenética, empregando dados moleculares e de outras fontes. Desenvolver projeto de estudo filogenético que será apresentado por cada aluno no final da disciplina.

Bibliografia:
Amorim, D. S. 2002. Fundamentos de Sistemas Filogenética. Ribeirão Preto: Editora Holos. 156 p.
Matioli, S.R. (ed.) 2001. Biologia molecular e evolução. Holos Ed., Ribeirão Preto.
DeSalle, R., Giribet, G. & Wheeler, W. 2002. Molecular systematics and evolution: theory and practice. Basel: Birkhäuser Verlag, 309 p.
Felsenstein, J. 2004. Inferring phylogenies. Sinauer, Sunderland.
Hall, B.G. 2001. Phylogenetic trees made easy. Sinauer Ass., Inc. Sunderland.
Hillis, D. M., Moritz, C., Mable, B. K. 1996. Molecular Systematics. Sinauer Associates, Suderland, MA. EUA.
Li, W.-H. 1997. Molecular evolution. Sinauer Ass., Inc., Sunderland.
Page, R. D. M. & Holmes,E. C. 1998. Molecular evolution: a phylogenetic approach. Oxford: Blackell Science. Sunderland.

DISCIPLINA: Fundamentos da tecnologia do DNA Recombinante

Ementa:
Estrutura e função do DNA.
Manipulação e clonagem de fragmentos de DNA; Enzimas de restrição e vetores de clonagem.
Métodos de análise de seqüências de DNA: sequenciamento, PCR, hibridação.
Controle da expressão gênica em eucariotos e procariotos. Sistemas heterólogos.

Bibliografia:
ALBERTS, B. (1997) Essential Cell Biology: an introduction to the molecular biology of the cell. Garland publishers, New York, 650p.
GLICK, B. R. & PASTERNAK, J.J. (1998) Molecular Biotechnology. American Soc. Microbiol, Washington, 500p.
GRATTAPAGLIA, D. & FERREIRA, M.E. (1996) Introdução ao uso de marcadores moleculares em análise genética. Ed. EMBRAPA, CENARGEN, Brasília, 220P.
KORNBERG, A. (1996) The golden Helix: Inside Biotech Ventures. University Sci. Books, California 287p.
WATSON, J.D.; GILMAN, M.; WITKOVSKI, J. (1992) Recombinant DNA. W. Freeman & Co., New York, 626p.

DISCIPLINA: Fundamentos de Bioinformática

Ementa:
Introdução básica à informática para estudantes da área de Biotecnologia, focando conceitos básicos de hardware e software. Definição dos conceitos de sistema operacional e aplicativos. Introdução ao uso do sistema operacional LINUX, comparando com MS-Windows. Introdução a algoritmos e programas.
Introdução à linguagem Perl.

Bibliografia:
Gibas, C. e Jambeck, P., Desenvolvendo Bioinformática, Editora Campus, Rio de Janeiro, 2001.
- Danesh, A., Dominando o Linux, Makron Books, São Paulo, 2000.
- Tanenbaum, A. S., Organização estruturada de computadores, 4. ed, Rio de Janeiro, 2001.
- JAMIL, George Leal; GOUVÊA, Bernardo Andrade. Linux para profissionais: do básico à conexão em redes. Rio de Janeiro: Axcel Books, 2006.

DISCIPLINA: Genética e Biotecnologia de Fungos

Ementa:
-Introdução. Isolamento de mutantes em fungos;
-Ciclo sexual e parassexual em fungos;
-Tecnologia do DNA recombinante em fungos;
-Biotecnologia de fungos. Exemplos.

Bibliografia:
AZEVEDO, J.L. (1998) Genética de Microrganismos. UF Goiás, Goiânia. 478p.
KLEINER, A.A.; PEREIRA, J.O. & AZEVEDO, J.L. (1999) Genética de fungos no laboratório. UF Amazonas, 138p.
ALEXOPOULOS, C.J.; MIMS, C.W. & BLACKWELL, M. (1996) Introductory Mycology. John Wiley Sons, New York, 868p.
ATTI-SERAFINI, L.; BARROS, N.M. E AZEVEDO, J.L. (2001) Biotecnologia na Agropecuária e Agroindústria. Ed. Agropecuária, Guaíba, 423p.

DISCIPLINA: Interações planta-microrganismos e seu valor biotecnológico

Ementa:
Biodiversidade microbiana. A microbiota associada aos vegetais: fixadores de nitrogênio, fungos micorrízicos, endófitos, epifítos e patógenos.
Processos de detecção e isolamento de microrganismos associados aos vegetais.
Processos de determinação da variabilidade genética em microrganismos que habitam as plantas.
Importância biotecnológica dos microrganismos que vivem em associação com plantas.
Tecnologia do DNA recombinante em microrganismos que interagem com vegetais.

Bibliografia:
AZEVEDO, J.L. (1986) Genética de Microrganismos em Biotecnologia e Engenharia Genética. Ed. FEALQ, Piracicaba, 183p.
AZEVEDO, J.L. (1998) Genética de Microrganismos. Ed. Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 478p. DOBEREINER, J. & PEDROSA, F. O. (1987) Nitrogen-fixing bacteria in nonleguminous crop plants. Science Tech. Publication, Madison, 154p.
ISAAC, S. (1992) Fungal-Plant interaction. Chapman & Hall, London, 418p.
MELO, I.S. & AZEVEDO, J.L. (1997) Microbiologia ambiental. Ed. EMBRAPA, Jaguariúna, 438p.
MELO, I.S. & AZEVEDO, J.L. (1998) Ecologia microbiana. Ed. EMBRAPA, Jaguariúna, 486p.
REDLIN, S.C. & CARRIS, L.M. (1996) Endophytic fungi in grasses and woody plants. APS Press. Am Phytopathol. Soc. St. Paul, Minnesota, 223p.
STACEY, G.; BURRIS, R.H. & EVANS, N.J. (1992) Biological Nitrogen fixation. Chapman & Hall, New York.
Artigos científicos selecionados em periódicos como: Molecular Plant-Microbe interactions; New Phytologist; Microbiological Reviews; Applied and environmental Microbiology; World Journal of Microbiology and Biotechnology

DISCIPLINA: Introdução à Ciência de Colóides

Ementa:
Conceitos em microbiologia básica, cinéticas microbianas, biofilmes, reatores, lagoas aeróbias e anaeróbias, lodos ativados, tratamento de água potável, desintoxicação de compostos perigosos e biorremediação.

Bibliografia:
BAJPAI, P.K., KONDO, R., "Biotecnology for environmental protection in the pulp and paper industry", Spriger Verlag, Pp.520, 2000.
PITTMAN, B., MCCARTY, P., "Environmental Biotechnology: Principles and applications", McGraw Hill High Education., pp.754, 2000.

DISCIPLINA: Linguagem Científica

Ementa:
O curso será constituído de aulas teóricas, práticas, estudos de caso com diversos professores do curso de Pós-graduação em Biotecnologia com experiência de publicar em revistas nacionais e internacionais.
Nas aulas teóricas introdutórias serão abordados os aspectos gerais sobre a importância de publicar os resultados de uma pesquisa, tipo e escolha da revista, idioma de publicação, itens que compõe cada tipo de artigo científico, tipos de artigos: artigo completo, short communication e artigos de revisão (review); apresentação de um exemplo de cada tipo de artigo; o que é índice de Impacto (I.S.I. - Institute for Scientific Information) das revistas e sobre a qualidade das revistas, de acordo com a CAPES (Qualis A, B, C - Revistas Nacionais e Internacionais), como seguir a instrução de autores de cada revista. Apresentação de modelo de carta de encaminhamento e de carta-resposta de artigo para publicação. Exemplos do procedimento de publicação de um artigo: encaminhamento, revisão, correções, proofs, publicação final e solicitações de artigos à editora. Análise de exemplos de artigos enviados e aceitos, ou não.
Na segunda parte do curso, professores do curso de pós-graduação em Biotecnologia proferirão seminários sobre sua experiência em publicar seguido na aula seguinte de uma discussão sobre um artigo já publicado pelo professor.

Bibliografia:
Briscoe, M. H. Preparing Scientific Illustrations. A guide to better posters, presentations and publications. Springer Verlag: New York, 1995, 204p. •
Barrass, R. Os cientistas precisam escrever: guia de redação para cientistas, engenheiros e estudantes. Edusp:São Paulo, 1994, 218p. •
Aluísio, S. M. Ferramentas para auxiliar a escrita de artigos científicos em inglês como língua estrangeira. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Carlos. 1995, 225p.
Ferreira, L. G. R. Redação científica: como escrever artigos, monografias, dissertações e teses. Fortaleza: UFC, 1994, 82p.
Ebel, H. F. The art of scientific writing: from student reports to professional publications in chemistry and related fields. VCH:Weinheim, 1990, 493p. • Matthews, J. R. Successful scientific writing: a step-by-step guide for the biological and medical sciences. Cambridge University Press:New York, 1998, 181p.
Kirkman, J. Good style: writing for science and technology. London:E&FN Spon, 1992, 221p. Burnard, P. Writing for publication. A guide for those who must . Nurse Education Today, 15(2): 117-120, 1995. •
Cox, J. E. Publishers, publishing and the internet: how journal publishing will survive and prosper in the electronic age. Electronic Library, 15(2)125-131, 1997. • van Rooyen, S. A critical examination of the peer review process. Learned Publishing. 11(3):185-191, 1998. •
Skelton, J. Analysis of the structure of original research papers - an aid to writing original papers for publication. British Journal of General Practice. 44(387):455-459, 1994. •
van Teijlingen, E., Hundley, V. Getting your paper to the right journal: a case study of an academic paper. Journal of Advanced Nursing. 37(6):506-511, 2002.

DISCIPLINA: Marcadores Moleculares em Biotecnologia

Ementa:
Introdução ao estudo de marcadores polimórficos
RFLP
Mini e micro-satélites
RAPD
AFLP
Identificação humana pelo DNA; exames de paternidade. Aplicações agropecuárias.

Bibliografia:

GLICK, B.R. & PASTERNACK, J.J.(1998) Molecular Biotechnology American Soc. Microbiol. Washington, 500p.
GRATTAPAGLIA, D. & FERREIRA, M.E. (1996) Introdução ao uso de marcadores moleculares em análise genética. Ed. EMBRAPA, CENARGEN, Brasília, 220p.
Artigos científicos selecionados em periódicos como: Trends in Biotechnology; Nature; Biotechnology; Nature; Science; Proceedings of the National Academy of Sciences, USA.

DISCIPLINA: Metabolismo Intermediário

Ementa:
Introdução ao metabolismo. Princípios de bioenergética
Membranas e organelas subcelulares
Receptores e transporte
Oxidações biológicas I (enzimas oxidativas e coenzimas, ciclo do ácido cítrico, estrutura mitocondrial, transporte de elétrons, fosforilação oxidativa e seus mecanismos)
Oxidações Biológicas II (enzimas, oxidantes, coenzimas e transportadores) Metabolismo de carboidratos
Metabolismo de lipídios
Metabolismo de aminoácidos em plantas e microrganismos
Metabolismo de aminoácidos em mamíferos e seus destinos metabólicos
Metabolismo de aminoácidos: outros aspectos
Metabolismo dos purino e pirimidino nucleotídeos.

Bibliografia:
VOET, D. & VOET, J.G. (1995) Biochemistry. John Wiley & Sons, New York, 1360 p.
LEHNINGER, A. L. (1998) Princípios de Bioquímica. Sarvier editora de livros médicos, São Paulo, 725p.
DEVLIN, T.M. (1997) Manual de bioquímica com correlações clínicas. Editora Edgard Blucher, São Paulo, 1007p.

DISCIPLINA: Metodologia de Pesquisa

Ementa:
O método científico.
Objetivo do orientador.
Elementos principais de um projeto de pesquisa
Procedimento para realizar um levantamento bibliográfico
Leitura e análise de artigos científicos
Regras da ABNT
Escrita de dissertações e teses (introdução, metodologia, resultados, discussões e conclusões)
Apresentação de seminários, painéis, qualificações e defesas de dissertações.

Bibliografia:
Manual ABNT
Artigos científicos relacionados ao projeto dos alunos.

DISCIPLINA: Nanobiotecnologia

Ementa:
Introdução: nanotecnologia e nanobiotecnologia.
Sistemas biomiméticos.
Sistemas carregadores de drogas.
Micelas, micelas reversas e microemulsões.
Vesículas e lipossomas.
Ciclodextrinas.
Nanopartículas e nanoesferas.
Filmes ultrafinos nanoestruturados.
Biosensores.
Sistemas para transfecção gênica.

Bibliografia:
Membrane Mimetic Chemistry, Janos H. Fendler, John Wiley & Sons, 1982.
Liposome Technology, Gregory Gregoriadis (editor), Boca Raton, Fla.: CRC Press, 1984.
Cyclodextrin Technology, József Szejtli, Dordrecht ; Boston: Kluwer Academic Publishers, 1988.
Biosensor Technology: Fundamentals and Applications, Richard P. Buck (editor), New York: M. Dekker, c1990.
Polymeric Nanoparticles and Microspheres, Pierre Guiot, Patrick Couvreur (editores). Boca Raton, Fla.: CRC Press, 1986.
An Introduction to Ultrathin Organic Films: from Langmuir-Blodgett to Self-Assembly, Abraham Ulman, Boston: Academic Press, c1991.

DISCIPLINA: Princípios de Biotecnologia

Ementa:
A Biotecnologia. Conceito e definições. Sua importância e impactos.
Metodologias mais utilizadas em biotecnologia; metodologias convencionais e atuais.
Biotecnologia nas áreas de agropecuária e agroindústria.
Biotecnologia das áreas de saúde e nutrição.
Biotecnologia na área energética.
Biotecnologia e meio ambiente.
Aspectos legais da biotecnologia.
A Biotecnologia no terceiro milênio.

Bibliografia:
AHMED, I. (1992) Biotechnology: A hope or a threat? The Macmillan Press Ltd. Basingstoke, Hampshire, 275p.
ANTÉBI, E. & FISHLOCK, D. (1986) Biotechnology: Strategies for life. The MIT Press, Cambridge, Massachusetts, 239p.
AZEVEDO, J.L. (1986) Genética de microrganismos na Biotecnologia e Engenharia Genética. Ed. FEALQ, Piracicaba, 183p.
BAINS, W. (1998) Biotechnology from A to Z. Oxford University Press, Oxford, 411p. BARNUM, S.R. (1998) Biotechnology: An Introduction. Wadsworth Publishing Co. Belmont, California, 225p.
IICA (1998) Guias para el uso y la seguridad de las tecnicas de ingeneria genetica o tecnologia del ADN recombinante. Instituto Interamericano de Cooperacion para la agricultura, Washington, 151p.
PRIMROSE, S.B. (1997) Modern Biotechnology. Blackwell scientific publications, Oxford 176p.
PUGA, N.; NASS, L.L. & AZEVEDO, J.L. (1995) Glossário de Biotecnologia vegetal. Editora Manole, S. Paulo, 87p.
SCRIBAN, R. (1985) Biotecnologia. Editora Manole, S. Paulo, 489p.

DISCIPLINA: Quimiometria I

Ementa:
Estatística elementar e suas aplicações, Planejamentos fatoriais, Blocagem, Planejamentos Fatoriais fracionários, Como construir modelos empíricos, Superfícies de respostas, Modelamento de Misturas e Otimização simplex.

Bibliografia:
BARROS NETO, B., SCARMINIO, I.E., BRUNS, R.E. Como Fazer Experimentos. 4a Ed. São Paulo: Cia. Editora Bookman, 2010.

BOX, G.E.P., HUNTER, W. G. AND HUNTER,J. S. Statistics for Experimenters: An Introduction to Design, Data Analysis, and Model Building.
1st ed., John Wiley & Sons, USA, 1978.

ANTONY, J. Design of Experiments for Engineers and Scientists, 1st ed., Butterworth & Heinemann, Oxford, 2003.

DISCIPLINA: Seminários I

Ementa:
Serão convidados docentes da nossa Universidade e docentes e pesquisadores de outras instituições de ensino e pesquisa do país e exterior para ministrarem palestras semanais aos alunos e demais interessados em aspectos atuais e relevantes da biotecnologia. Os seminários terão periodicidade semanal, pelo período de um semestre. A coordenação ficará a cargo de um ou dois docentes do programa e haverá rodízio anual da coordenação da disciplina. Os alunos também participarão com apresentação de seminários, sendo um deles sobre seu trabalho de dissertação de mestrado e outro relativo a um assunto a ser designado pelos coordenadores da disciplina.

Bibliografia:
Artigos Científicos

DISCIPLINA: Seminários II

Ementa:
Serão convidados docentes da nossa Universidade e docentes e pesquisadores de outras instituições de ensino e pesquisa do país e exterior para ministrarem palestras semanais aos alunos e demais interessados em aspectos atuais e relevantes da biotecnologia. Os seminários terão periodicidade semanal, pelo período de um semestre. A coordenação ficará a cargo de um ou dois docentes do programa e haverá rodízio anual da coordenação da disciplina. Os alunos também participarão com apresentação de seminários, sendo um deles sobre seu trabalho de dissertação de mestrado e outro relativo a um assunto a ser designado pelos coordenadores da disciplina.

Bibliografia:
Artigos Científicos

DISCIPLINA: Taxonomia de Microrganismos

Ementa:
Introdução à evolução e diversidade microbiana: microorganismos procariotos (arqueobactérias e eubactérias), eucariotos (fungos e protozoários) e vírus. Classificação, nomenclatura e identificação.
Aspectos históricos da taxonomia microbiana. Sistemática e hierarquia taxonômica. Sistemas de classificação, características e estratégias mais utilizadas na taxonomia dos principais grupos de microorganismos. Classificação morfológica, bioquímica, molecular e genômica. Impedimentos taxonômicos. Construção de árvores filogenéticas.

Bibliografia:
HOLT J.G.; KRIEG N.R.;SNEATH P.H.A.; STALEY J.T.; WILLIAMS A.T., Bergey´s Manual of Determinative Bacteriology, Williams & Wilkins, 1994, 787p.
HANLIN R.T. & MENEZES M., Gêneros Ilustrados de Ascomicetos, tradução de MENEZES M., Recife: Inprensa da Universidade Federal Rural de Pernambuco, 1996, 274p.
BARNETT H.L. & HUNTER B.B., Illustrated Genera of Imperfect Fungi, Burgess Publishing Company, 1972, 241p.

DISCIPLINA: Tecnologia dos Processos Fermentativos

Ementa:
Introdução, Metabolismo microbiano; Processos Fermentativos; Bioquímica das Fermentações; Balanço da Fermentação; Síntese de Metabólitos Primários e Secundários;Processos de Interesse Industrial, Bioreatores e Desenvolvimento de um processo fermentativo

Bibliografia:
BORZANI, W.; SCHMIDELL, W.; LIMA, U.A.; AQUARONE, E.; Biotecnologia Industrial: Fundamentos. São Paulo. Ed. Edgard Blucher, 2001, vol1.
BORZANI, W.; SCHMIDELL, W.; LIMA, U.A.; AQUARONE, E.; Biotecnologia Industrial: Engenharia Bioquímica. São Paulo. Ed. Edgard Blucher, 2001, vol
LIMA, U.A.; AQUARONE, E.; BORZANI, W.; SCHMIDELL, W. Biotecnologia Industrial: Processos Fermentativos e Enzimáticos. São Paulo: Edgard Blucher, 2001, vol.3
MALAJOVICH, M. A. Biotecnologia: Fundamentos. Ed. Biblioteca Max Feffer, Rio de Janeiro, Brasil. 2009.
FLICKINGER, M. C. & DREW, S. W. Encyclopedia of Bioprocess Technology: Fermentation, Biocatalysis and Bioseparation. Volume 1-5, John Wiley & Sons, Inc., 1999.

DISCIPLINA: Tópicos Atuais em Biologia Molecular e Genética: Genômica Estrutural e Funcional

Ementa:
Esta disciplina pretende mostrar aos alunos, de uma maneira eminentemente prática, as modernas abordagens em larga escala para análise estrutural e funcional dos genes, de organismos procarióticos assim como eucarióticos. Serão revistos técnicas e conceitos básicos de Biologia Molecular e Genômica e os alunos os aplicarão em atividades de construção e utilização de bibliotecas genômicas, fracionamento e caracterização de ácidos nucléicos, seqüenciamento de DNA e análise computacional de seqüências. A análise da expressão gênica em larga escala será abordada através da execução e avaliação dos resultados de experimentos de hibridação competitiva em microarrays.

Bibliografia:
B. Alberts et al. (2002) Molecular Biology of the Cell, 4th ed, Garland Pub, USA.
J.D.Watson et al (1993) Recombinant DNA,, 2nd.ed., W H Freeman & Co., USA.
Lodish, H. et al (2000) Molecular Cell Biology. 4th ed. W. H. Freeman & Co.; USA.

DISCIPLINA: Tópicos Atuais em Taxonomia Animal

Ementa:
As profundas mudanças na sistematização da biodiversidade, a partir do estabelecimento dos métodos da Sistemática Filogenética por Hennig em 1950, exigem mudanças radicais na forma de se entender a zoologia. Intimamente ligada à teoria da evolução, a sistemática filogenética, é uma ferramenta importante para a unificação das diversas áreas das ciências biológicas, propiciando estudos mais completos de biologia comparada. Noções de sistemática são importantes para a formação de qualquer pesquisador que trabalhe com a biodiversidade animal, mesmo para aquele que não trabalha especificamente com sistemática. O entendimento das classificações contemporâneas e das fundamentações teóricas em que elas se baseiam é imprescindível para que se possa entender o significado, o alcance e as limitações dessas classificações

Bibliografia:
Amorim, D. S. 1994. Elementos Básicos de Sistemática Filogenética. Sociedade Brasileira de Entomologia, 314 pp.
Futuyma, D. J.  1993. Biologia Evolutiva. Sociedade Brasileira de Genética, 631 pp.
Papavero, N. 1994. Fundamentos Práticos de Taxonomia Zoológica. Editora Unesp, 285 pp.
Simpson, G. G.  1962. Princípios de Taxonomia Animal. Fundação Calouste Gulbenkian, Portugual, 254 pp

DISCIPLINA: Tópicos Atuais em Taxonomia Vegetal

Ementa:
Estudo taxonômico e evolutivo das principais divisões do Reino Vegetal, dando ênfase aos sistemas filogenéticos. Os principais grupos de Criptógamas e Fanerógamas serão estudados, desde as circunscrições taxonômicas (com as devidas caracterizações morfológicas e bioquímicas) até as suas relações filogenéticas. Será abordado o Código Internacional de Nomenclatura Botânica, assim como conceitos teórico-filosóficos que envolvem as classificações fenéticas e filogenéticas.

Bibliografia:
Alexopoulos, C. J.; Mims, C.W. & Blackwell, M. 1996. Introductory Mycology. New York: John Wiley & Sons.
Barroso, G. M. 1978. Sistemática das angiospermas do Brasil. São Paulo: USP. v.1.
Barroso, G. M. 1984. Sistemática das angiospermas do Brasil. Viçosa: UFV. v.2.
Barroso, G. M. 1986. Sistemática das angiospermas do Brasil. Viçosa: UFV. v.3.
Cronquist, A. 1988. The evolution and classification of flowering plants. New York: NYBG. .
Joly, A. B. 1993. Botânica: Introdução à Taxonomia Vegetal. 11a ed. São Paulo.
Judd, W. S., Campbell, C. S., Kellogg, E. A. & Stevens, P. F. 1999. Plant systematics: a phylogenetic approach. Sunderland.
Lee, R.E. 1989. Phycology. Cambridge: Cambridge University Press.
Reviers, B. de. 2006. Biologia e filogenia das algas. Porto Alegre: Artmed.
Schofield, W.B. 1985. Introduction to bryology. Blackburn Press: Caldwell.
Smith, G.M. 1955. Botânica criptogâmica: algas e fungos. 3ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. v.1.
Smith, G.M. 1955. Botânica criptogâmica: briófitos e pteridófitos. 3ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. v.2.
Stace, C. A. 1989. Plant taxonomy and biosystematics. New York: Cambridge University Press. 2a.ed. Tryon, R.M. & Tryon, A.F. 1982. Ferns and allied plants with special reference to Tropical America. New York: Springer-Verlag.
Van den Hoek, C.; Mann, D.G. & Jahns, H.M. 1995. Algae – an introduction to phycology. Cambridge: Cambridge University Press.

DISCIPLINA: Tópicos Básicos em Biotecnologia: área de Ciências Biológicas I

Ementa:
Tópicos básicos sobre a evolução, a química das células, os métodos para estudá-las e os principais fundamentos de biologia molecular. A biologia molecular das células e o fluxo da informação genética (DNA? RNA? Proteína). Organização dos genomas celulares; Replicação, manutenção e rearranjos do DNA genômico; Síntese e processamento do RNA. Síntese, processamento e regulação protéica.

Bibliografia:
Geoffrey M. Cooper "A Célula - Uma Abordagem Molecular", 2ª ed. ARTMED EDITORA S.A

DISCIPLINA: Tópicos Básicos em Biotecnologia: área de Ciências Biológicas II

Ementa:
Estrutura e função celular: Núcleo celular; Organelas citoplasmáticas; Citoesqueleto e Superfície Celular.
Mecanismos de regulação celular.
Sinalização Celular; o Ciclo Celular e a Morte Celular.

Bibliografia:
Geoffrey M. Cooper, "A Célula - Uma Abordagem Molecular", 2ª ed. ARTMED EDITORA S.A

DISCIPLINA: Tópicos Básicos em Biotecnologia: área de Ciências Exatas

Ementa:
1. Espectroscopia Vibracional na Região do Infravermelho
Introdução Teórica
Equipamento e acessórios
Aplicações a sistemas de interesse biológico
2. Espectroscopia de Ressonância Magnética Nuclear
Teoria de Ressonância Magnética Nuclear
Espectrômetros de RMN
RMN de próton
RMN de 13C
3. Espectroscopia de Absorção Molecular na Região do Ultravioleta/Visível
Espectroscopia de absorção no UV/Vis – Princípios e Teoria.
Espectroscopia de absorção no UV/Vis - aula prática: verificação da Lei de Lambert-Beer.
4. Fluorimetria
Introdução Teórica: Princípios e Métodos.
5. Análise Termogravimétrica
Princípios de Análise Térmica
Termogravimetria
Equipamentos e condições Experimentais
Aplicações a Sistemas de Interesse Biológico

Bibliografia:
Skoog, D. A., Holler, F. J. and Nieman, T. A. "Princípios de Análise Instrumental", 5a.edição, Porto Alegre, Bookman (2002).
Sala, O., "Fundamentos da Espectroscopia Raman e no Infravermelho", São Paulo, Editora da UNESP (1995).
Suëtaka, W., "Surface Infrared and Raman Spectroscopy: Methods and Applications" New York, Plenum Press (1995).
Singh, B. R. (editor) "Infrared Analysis of Peptides and Proteins: Principles and Applications", ACS Symposium Series 750, American Chemical Society, Washington (2000).
Cienfuegos, F. and Vaitsman, D., "Análise Instrumental", Rio de Janeiro, Editora Interciência Ltda. (2000).
Silverstein, R. M.; Bassler, G. C. and Morril, T. C.; "Identificação espectrométrica de compostos orgânicos"3ª ed., Guanabara Dois, Rio de Janeiro,1979.
Ewing, G. W. "Métodos Instrumentais de Análise Química", Vols. I e II; E.Blucher, Rio de Janeiro (1988).
Charsley, E. L. And Warrington, S. B. (editors) "Thermal Analysis – Techniques and Applications", Royal Cociety of Chemistry (1992).
Wendlandt, W. WM. (editor) "Thermal Analysis", 3rd Edition, New York, John Wiley & Sons (1964).
Mothé, C. G. e Azevedo, A. D., "Análise Térmica de materiais", São Paulo, iEditora (2002).

DISCIPLINA: Tópicos em Química Analítica: Química Ambiental

Ementa:
Será realizada uma abordagem química do ambiente, com ênfase em sistemas aquáticos e solo, apresentando os principais processos químicos nesses compartimentos e comportamento de poluentes orgânicos e inorgânicos.
Serão também descritas sucintamente as principais técnicas analíticas utilizadas na área.

Bibliografia:
Stumm, W. and Morgan, J.J.(1996): Aquatic Chemistry, Chemical Equilibria and Rates in Natural Waters, 3rd ed. John Wiley & Sons, Inc., New York, 1022p.
Rocha, J.C.Rocha; Rosa, A.H.; Substâncias húmicas aquáticas - interação com espécies metálicas. UNESP, 2003.
Manahan, S.E.. Environmental Chemistry. CRC Press. 2004.
Harris, D.C. Análise química quantitativa, LTC,6ª ed., 2005

DISCIPLINA: Tópicos Especiais em Diversidade Biológica

Ementa:
A disciplina abordará a caracterização do termo diversidade biológica, considerando-o sob os seguintes aspectos: de espécie que inclui toda a gama de organismos na Terra, desde as bactérias e protistas até reinos multicelulares de plantas, animais e fungos; variação genética tanto entre as populações geograficamente separadas como entre os indivíduos de uma mesma população e por último entre as comunidades biológicas nas quais as espécies vivem e de ecossistemas nos quais as comunidades se encontram. Será dada ênfase à diversidade biológica como um recurso global, para ser registrada, usada e, acima de tudo preservada, principalmente em relação às condições dos países tropicais.

Bibliografia:
Garay, I.; Dias, B. – Conservação da biodiversidade em ecossistemas tropicais: avanços conceituais e revisão de novas metodologias de avaliação e monitoramento. Editora Vozes, Petrópolis, 2001, 430p.
Ricklefs, R.E. – A economia da natureza. Guanabara Koogan, 3 ed., 1996, 470p.
Wilson, E.O. – Biodiversidade. Editora Nova Fronteira, 1988, 657p.
Hernandez, H.M.; Aldrete, A.N.G.; Alvarez, F.; Ulloa, M.- Enfoques contemporâneos para o el estúdio de la biodiversidad. Ediciones Científicas Universitárias, México, 2001, 413p.

 Mais informações



Tel: 55 (11) 4798-7288
Atendimento: Segunda a sexta-feira: 08h - 18h
Email: biotec@umc.br

Leia mais
COPYRIGHT 2011© - Todos os direitos reservados - UMC - Universidade de Mogi das Cruzes
Campus da Sede - Mogi das Cruzes
Av. Dr. Cândido Xavier de Almeida e Souza, 200
Mogi das Cruzes - SP - Cep: 08780-911

PABX: (11) 4798-7000
Fax: (11) 4799-5233
Centro Esportivo - Mogi das Cruzes
Ginásio: Rua Delphino Gregório, 767 - Mogilar
Mogi das Cruzes - SP - Cep: 08773-520

PABX: (11) 4798-7000
Campus Villa Lobos/Lapa - São Paulo
Av. Imperatriz Leopoldina, 550 - Vila Leopoldina
São Paulo - SP - Cep: 05305-000

Tel: (11) 3648-5050
0800 19 2001